1. O Caso 39

    O Que Podemos Encontrar em Caso 39

    O caso 39 faz parte do subgênero de terror dos "filhos assassinos", no qual as crianças se mostram malignas e homicidas; É uma idéia psicologicamente eficaz e assustadora, mas este filme é principalmente para choques em vez de explorar algo mais profundo.

    Há muita violência, incluindo algumas cenas envolvendo crianças (em uma seqüência particularmente perturbadora, os adultos empurram uma menina para um forno e acendem), bem como outras mortes e feridos.

    Um trabalho inteligente do diretor alemão Christian Alvert  ( o mesmo de Anticorpos). Nesta produção, Renée Zellweger interpreta Emily, uma assistente social preocupada confrontada com o caso mais difícil de sua carreira.

    Emily se dedica a ajudar as crianças. Ela é gentil e atenciosa e faz o melhor para mostrar aos pais quais escolhas sábias em casa podem acalmar os mares tempestivos de uma criança problemática. Emily teme que, porque sua mãe fez um trabalho tão péssimo, criando ela, ela também seria uma mãe ruim.

    Ela tem um amigo na policia, chamado, Mike,  que está disposto a ajudar a Emily por causa das crianças . 

    Ela suspeita que Lily (Jodelle Ferland), de 12 anos, está sendo abusada por seus pais sinistros e taciturnos. Uma noite, Emily recebe um telefonema desesperado da criança: mãe e pai estão prestes a colocá-la no forno e assar ela viva. A tentativa desesperada de Emily de resgatar é apenas o começo de seus problemas.

    A performance de Renée é muito boa, já que sua compostura delicada se desintegra.

    Temendo pela vida da garota, Emily pede a ajuda do detetive Mike Barron e leva Lily enquanto continua a busca da família adotiva perfeita. Assim como parece que Lily está a caminho de um lar mais amoroso, sob a orientação de Emily e psiquiatra, as forças escuras que cercam essa jovem vêm à luz e, pouco elas sabem, suas tentativas de protegê-la só vão trazer piores consequencias.

    Emily, que claramente precisa aprender a criar fronteiras entre sua vida profissional e pessoal, concorda em deixar Lillith (Jodelle Ferland) ficar com ela depois que a menina sobrevivesse sendo quase queimada viva no forno por seus pais adotivos. ("O que diabos é o problema com vocês?", Pergunta o detetive duro (Ian McShane) que explode na cena com Emily, não irracionalmente.)

    Embora aparentemente não seja o pior para o desgaste, Lillith logo demonstra tendências perturbadoras, que vão desde uma precoce impressionante - para a capacidade de Faça com que todos envolvam atos assustadores.

    Claramente a menina esta sob a influencia  de uma entidade maligna poderosa. Ambos os pais de Lilith afirmam que é "vontade de Deus" que Lilith morra. E o Sr. Sullivan diz que Lilith nasceu com a alma de um demônio que se alimenta de "bondade e decência". Quando Emily lhe pergunta o que a criatura quer, ele responde: "Para saber qual é a sua idéia do inferno e fazer você viver nela". Este arrepiante filme é distribuido pela Paramount Pictures.

    Trailer:

    Tagged as : Terror Suspense Drama
  2. Filme Um Monstro no Caminho

    Tudo sobre o filme Um Monstro no Caminho

    imagem Um Monstro no Caminho

    Filmes de terror sabemos que tem aos montes, e são lançados à rodo todos os anos. Alguns filmes de terror tem narrativas distintas, desembocam para o sobrenatural, alguns para o terror mais "tradicional" com assassinos e serial killers, outra ramificação do terror são os famosos monstros.

    Os filmes sobrenaturais sempre tem as mesmas histórias, tudo começa bem, e aos poucos o suspense vai sendo inserido no contexto, e como de costume, a partir da metade do filme o fantasma ou espírito aparecem por completo, e a caçada e correria atinge o seu auge.

    Os filmes onde existem monstros, da mesma forma que os sobrenaturais, os roteiros são sempre os mesmos. Um monstro emerge das profundezas do mar, da floresta, de cavernas ou é o resultado de experiências genéticas. Uma coisa é certa nos filmes onde o protagonista é um ameaçador mutante com dentes grandes e afiados, eles são mais velhos do que se imagina, é muito comum terem mais de umas centenas e alguns até milhares de anos.

    Quando o protagonista de filmes de terror são assassinos e psicopatas, a história muda um pouco de figura e o enredo se torna mais dinâmico, o diretor tem mais possibilidades de explorar todo um personagem.

    O filme Um monstro no Caminho (The Monster) de 2016 já se entrega pelo título, temos uma criatura horripilante que pouco aparece no filme, deixando um suspense sempre em evidencia até o seu final.

    Um Monstro no Caminho começa com uma cansada e perturbada mãe Kathy (interpretada por Zoe Kazan) precisando levar sua filha Lizzy (interpretada por Ella Ballentine) até a casa de seu pai. Entre um roteiro simples e sem graça, um drama forçado é inserido no início para fazer o público criar um certo vínculo.

    Ambas seguem viagem até o encontro do pai de Lizzy, decidem pegar um caminho antigo e pouco trafegável e após uma entediante viagem onde o diálogo se torna muito massante, o carro onde Lizzy e Kathy sofre uma batida fazendo-as girar na estrada parando apenas ao acertar um lobo no meio da pista.

    Atordoadas, e depois de uns 5 minutos de diálogo chato, ambas descem do veículo para verificar o que tinha acontecido, e assim surge o primeiro suspense, e lá se foram 30 minutos de filme.

    Uma ligação é feita para emergência do celular da jovem Lizzy, e como um milagre um viajante se depara com as duas necessitadas à beira da pista. Solidário, o rapaz se oferece para rebocar o carro das moças, uma pena que o rapaz não sabia o que tinha oculto na mata ao redor.

    Um pouco de ação e sangue acontece, com o filme um pouco mais agitado, o meu interesse é levemente aumentado.

    O final não é surpresa para ninguém, também não tem novidade alguma, não é nada que você diga: "nossa que doideira"! O monstro morre pela pessoa menos improvável possível. E Fim! Foram quase duas horas de um filme pouco recomendado.

    Trailer: 

    Tagged as : Terror Suspense Drama

Pages

Categories

Tags